20 de ago de 2013

I wrote this record to stop wondering, to stop pining.

"Do you ever wonder what it would be like to be a bird? To be able to fly? What it would feel like to feel that free? Do you think birds ever feel left out? Or like they don't belong? Do you think they ever wonder if they're being a bird right? Life is an adventure and we have it in all of us to feel that free. You could spend your whole life wondering about things... and you could miss it. I wrote this record to stop wondering, to stop pining. " A Fine Frenzy - Album Trailer

Não sei se consigo escrever coisas levinhas se aqui dentro sinto um pouco de incerteza. O que importa é que não posso agora me perder já que meus passos marcam o que eu quero e pra onde eu devo ir. Sei que tem sido complicado. Tem sido, em absoluto, dificílimo compreender alguns momentos em que minhas emoções gritam ansiosas pra que eu tome um impulso diferente daquele que por vezes decido tomar. Dói. Mas também não quero fazer dessa dor um motivo de queda ou lamentação constante já que sei que crescer é necessariamente um pouquinho dolorido. Penso que depois de cada noite ruim, vem o orvalho da madrugada marcando que aquela dor, aquele medo já vão passar. E passa.
Eu sei de tudo o que já passei pra sentir o que ando sentindo e questionando em forma de alfinetadas e que, resignação! Resignação porque dor diz de ferida que um dia vai cicatrizar.
Eu posso soar melancólica ou podem não importar o número de vezes que engulo seco o choro que eu poderia demonstrar. Não significa que eu não sinta.
Eu sinto. E não adianta manter asas frágeis em dias de ventania, já que pena alguma se mantém diante do que corta a superfície -mas que vai a fundo- se a gente não tomar consciência do que anda sentindo.
Só que passa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário