2 de jan de 2014

Gratidão

Nossos pés tocavam o lodo escorregadio e o chuvisco que tocava nossos ombros era absolutamente mais quente do que a água à qual estávamos submersas. O nosso apoio estava no não saber até onde as pedras se estendiam. Esse é o maior problema de quem busca uma cachoeira lodosa. A água não é transparência aos pés. Mais rápido do que uma faísca que se esvai, meu corpo perdeu o apoio e, as mãos que me apoiavam esvaíram junto do meu corpo para um buraco que eu não conseguia alcançar ao fim com a ponta dos dedos. Um anjo de carne tentava nos jogar à margem e o verde que os olhos alcançavam junto ao grito oprimido pela tosse desenhava uma resignação desesperada por oxigênio. Não havia mais mão que tocasse pois cada fluxo de ar era tomado por água. O anjo, enfim, empurrou nossos corpos a um lugar onde outros anjos esperavam para nos amparar...

Gratidão é a certeza da falta de esperança que rodopia sua mente e que se desfaz por um segundo de alguém que decide mudar um fim.


8 comentários:

  1. como são doces suas palavras. já te disse que vc capta a essência dos momentos nas palavras de uma forma muito única e singular, não?

    a playlist só fez endossar isso! muito bom gosto por sinal, gabi. parabéns!

    doce far niente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 me deixa tão bem ler palavras assim

      Excluir
  2. Palavras com uma harmonia incrível, gostei delas e com esta playlist ficou encantador. {ouvindo}
    Amplexos.

    ResponderExcluir
  3. Oh, Gabi, tuas palavras são tão singelas! Li cada letrinha ao som destas músicas delicadas.
    Ah, e obrigada, pois querendo ou não descobri músicas novas que são belas, por sinal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que as músicas te fizeram bem! São minhas queridas. Gosto que infundam paz em quem quer o bem.

      Excluir
  4. É a primeira vez que visito seu blog e estou inteiramente encantada com a intensidade que tem tuas palavras. Me identifiquei muito com a descrição que fizeste de ti, sem querer generalizar mas, percebo que a maioria das pessoas que tratam suas dores em escritos são aquelas que carregam uma sensibilidade muito grande que não é melhor transporta do que em formas artísticas. Daqui para frente te acompanharei por aqui. Um abraço, desejo que continue trilhando assim por estes belos versos...Esta é a mensagem que trago.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh! Fico imensamente enternecida pelo aconchego que me traz! Possam bons anjinhos lhe embalarem na mesma suavidade que você se propôs a me embalar com seus escritos. Me deixou muito agradecida por tudo o que sentiu aqui. Obrigada, mais uma vez.

      Excluir